Devemos todos ajudar os médicos sem fronteiras

Há algum tempo meus pais fazem doações mensais para os Médicos Sem Fronteiras. Antes de eles ajudarem, eu já tinha visto algumas propagandas do MSF na televisão e achado um ótimo projeto. Ultimamente me interessei ainda mais pelo grupo, notei a importância do lindo trabalho que realizam e faço coro por mais doadores.

Infeliz e lamentavelmente, no sábado (02) um dos hospitais da ONG foi atingido por ataques aéreos norte-americanos na cidade de Kunduz, no Afeganistão. A ofensiva foi fruto de um pedido de ajuda feito pelas forças afegãs que lutam contra o grupo talibã, fora do poder desde 2001. As tropas norte-americanas ainda não emitiram explicações (os governos afegão e norte-americano são aliados nessa guerra contra o talibã). Em todas as áreas onde atua, o MSF cede as coordenadas geográficas de suas instalações a todas as partes envolvidas em conflitos para que não seja atacado.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam sem discriminação de raça, religião ou convicções políticas. Atua em locais hostis onde há guerra, terrorismo, pobreza extrema, crise humanitária e catástrofes naturais. Leva atendimento médico, remédios e até mesmo comida, abrigo e dignidade a pessoas sem qualquer acesso a mínimas condições de vida saudável.

Parte dos profissionais da ONG é composta de voluntários. As doações custeiam a aquisição de remédios e a logística, principalmente. Atualmente, o MSF é composto por mais de 36 mil profissionais das mais diversas nacionalidades e está presente em mais de 60 países, como Síria, Eritréia, Ucrânia, Afeganistão, Etiópia e Mali, dentre outros. Também atua no Mar Mediterrâneo cuidando dos refugiados que rumam à Europa.

O ataque aéreo de sábado matou 22 pessoas, das quais 12 eram profissionais dos Médicos Sem Fronteiras e 10 eram pacientes. O hospital de Kunduz é a única instalação que oferece cuidados a vítimas de acidentes e ataques no nordeste do Afeganistão. Após o ataque, a ONG retirou sua equipe e os pacientes do local e não há previsão de retorno, algo extremamente preocupante para a população da região.

O MSF surgiu em 1971, na França, por iniciativa de médicos e jornalistas. A atuação do grupo depende de doações – 90% de seu financiamento provêm da iniciativa privada. Para conhecer melhor a ONG, suas ações e como ajudar, acesse o site www.msf.org.br. Há várias opções de ajuda e a equipe do MSF envia frequentemente cartas com o demonstrativo de suas ações e de como as doações estão sendo utilizadas. O tempo é de crise econômica, mas ajudar um trabalho como esse é um dever que tem muito melhor proveito que pagar impostos no Brasil, por exemplo. Obrigado por ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *