Santuário Nacional de Aparecida lança campanha da fraternidade com debate sobre violência

Ideia da Igreja Católica é propor uma discussão sobre a violência e suas causas.

A missa das 9h no Santuário, nessa quarta-feira dia 14, celebrou oficialmente a abertura do Tempo da Quaresma na Igreja Católica, com a missa da Imposição das Cinzas. A celebração também anunciou a abertura da Campanha da Fraternidade 2018, que nesse ano tem o tema “Fraternidade e superação da violência” e lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida recordou que a Quaresma é tempo de autenticidade cristã e não de tristeza, frisando que esse é um momento para redescobrir o amor de Deus.

“A Quaresma é uma grande descoberta de quanto o Pai nos ama. Nos amou tanto que mandou seu filho para nós salvar. A Quaresma é um tempo para perceber que nós filhos pródigos não deixamos nunca de ser filhos e não deixamos nunca de ser amados”.

O arcebispo destacou as três práticas quaresmais, o jejum, a oração e a caridade, lembrando que cada uma delas são importantes para proporcionar um relacionamento mais íntimo com Deus, para lembrar o irmão que está em necessidade e para que exista uma fraternidade verdadeira.

Com essas observações Dom Orlando sugeriu alguns jejuns para o período da Quaresma como o jejum do celular, da língua e a penitência de se aproximar daqueles que nos desagradam, ressaltando que esse tempo na igreja é remédio para vários males.

“Esse remédio cura vícios, eleva os sentimentos, fortifica o espírito fraterno, quebra no nosso orgulho, desarma o inimigo, liberta das paixões, domina nossos maus desejos, nos preserva de tantas seduções, afastar todo tipo de excesso da nossa vida, tudo isso está dentro do contexto espiritual da Quaresma, afirmou o arcebispo.

Com a abertura da Campanha da Fraternidade que traz a reflexão da superação da violência, Dom Orlando enfatiza a volta ao primeiro amor, para que se alcance a paz no nível pessoal, familiar e social ressaltando três palavras necessárias na família e na sociedade.

“Nós temos que ter a paz social, mas cada um também deve buscar essa paz, basta dizer desculpa, obrigada, com licença e a paz na família vai acontecendo”, o arcebispo completou destacando alguns estatutos e leis que ajudam na superação da violência: “Paz social também é conhecermos melhor o Estatuto da Criança e do Adolescente, o estatuto do desarmamento, a Lei Maria da Penha, devemos conhecer para praticar”.

Para finalizar listou 7 atitudes de paz, indicando como necessárias para que haja a superação da violência:

“Paz para traz – para perdoar o passado, pois se eu não perdoou o passado vou guerrear para sempre;

Paz para frente – com as gerações futuras;

Paz para o alto – paz com Deus;

Paz para baixo – com o ambiente onde eu vivo;

Paz para direita – paz com meus vizinhos;

Paz para a esquerda – que é a paz com a minha família;

Paz para dentro – paz com o meu coração,” afirmou Dom Orlando, ao concluir a homilia.

Durante a celebração os devotos receberam as cinzas, como sinal de penitência e convite a conversão e rezaram para a superação da violência nas família e especialmente no Brasil.

A cada ano um tema novo é apresentado pela igreja. Em 2017 a campanha falou sobre a preservação do meio ambiente e a crise do saneamento básico. As igrejas católicas de toda região já estão preparadas para abordar e trabalhar esse tema da campanha durante as missas juntos fiéis.

(Fonte:  Portal A12 – Santuário Nacional) 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *