A Prefeitura de Socorro está intensificando seus esforços para resolver de vez as questões de poluição no Rio do Peixe. Em uma série de ações recentes, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável está liderando a discussão e a busca por soluções duradouras.

No dia 11 de outubro, o Secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Socorro reuniu-se com gestores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas Gerais. A reunião contou com a participação da Superintendência de Fiscalização Ambiental – SEFIS, o Núcleo de Denúncias e Requisições do Sul de Minas e a Diretoria Regional de Fiscalização Ambiental do Sul de Minas.

Durante essa reunião crucial, a Semad de Minas apresentou informações atualizadas sobre as medidas que estão sendo tomadas no estado vizinho para combater a poluição no Rio do Peixe. Documentos como notas técnicas e relatórios foram compartilhados, e foi ressaltado que as multas aplicadas a empresas envolvidas na poluição totalizam quase 20 milhões de reais. Além disso, foi comunicado que três das cinco empresas ativas em Munhoz, município vizinho a Socorro, estão com suas operações embargadas pelas autoridades de proteção ambiental.

Um destaque importante revelado durante a reunião foi que uma das empresas, identificada como a principal causadora dos danos, não estava em operação e suas instalações estavam abandonadas, sem maquinário em funcionamento. A Semad enfatizou que está empregando todos os recursos administrativos e legais disponíveis para conter os danos ambientais no Rio do Peixe e que solicitou o apoio da Advocacia Geral do Estado para buscar ações judiciais.

Continuando seus esforços, o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Tiago Sartori, participou de uma reunião das câmaras do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Grande na terça-feira, 17 de outubro. O Rio do Peixe faz parte da Bacia Hidrográfica do Rio Grande, que abrange áreas nos Estados de Minas Gerais e São Paulo e inclui 393 municípios.

Nessa reunião, a contaminação causada por efluentes de lavanderias e tinturarias em Munhoz, com impactos diretos no Rio do Peixe, foi debatida com profundidade. Tiago Sartori e Camila Conti, da Associação Ambientalista Copaíba, representando Socorro, apresentaram um histórico minucioso do problema, acompanhado de imagens, vídeos e documentos relacionados. Eles solicitaram o apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Grande, que compreende a bacia do Rio do Peixe.

Os próximos passos envolvem o comitê entrando em contato com autoridades estaduais e federais para obter atualizações sobre o caso e discutir como podem mediar o conflito. O Secretário Tiago Sartori observou que “a Prefeitura de Socorro está atuando em todas as esferas estaduais, federais e intermunicipais para encontrar uma solução definitiva para o problema da poluição no Rio do Peixe”.

Fonte e foto: Prefeitura Municipal de Socorro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *